Tratar a diabetes sem insulina é a proposta de novo tratamento holandês

Equipa do Porto cria equipamento que substitui andarilhos e muletas
Novembro 8, 2018
Os cuidados a ter com o pé diabético
Novembro 12, 2018
Voltar

Tratar a diabetes sem insulina é a proposta de novo tratamento holandês

É pelo excesso de açúcar no sangue que os indivíduos com diabetes carecem de um controlo diário dos níveis de insulina que obriga a incontáveis injeções, um tratamento que é visto (principalmente pelos próprios diabéticos) como uma forma de dependência à doença.

Para o combater, diversos cientista procuram tratamentos alternativos a esta condição. O tratamento de que agora se fala, desenvolvido por um grupo de cientistas do Centro Médico Universitário de Amesterdão, consiste em “estimular o crescimento de uma nova membrana mucosa intestinal que pode ajudar a controlar a diabetes tipo 2”.

Esta nova membrana no intestino delgado seria criada após a destruição da anterior como forma de estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Caso tenha sucesso, este processo viria a dispensar a constante injeção de insulina que deixaria de ser necessária. Além disso, os cientistas acrescem outras possíveis vantagens como a prevenção de doenças cardiovasculares, insuficiência renal, cegueira ou dormência nas extremidades do corpo.

Este método, que apresentou sucesso em 90% da amostra, que se mantém estável após um ano do tratamento ter sido feito, parece advir da estabilização da absorção dos nutrientes e resistência à insulina.

Após a primeira fase de análise, o grupo de especialistas holandês pretende confirmar se após um ano do tratamento – que passa por uma simples cirurgia que demora cerca de uma hora – é necessário submeter o (ex) diabético a uma segunda renovação de membrana intestinal ou se a primeira se mantém eficaz no tratamento.

 

Notícia site Notícias ao Minuto